Educar

O projeto Educar para Doar vai até escolas públicas e particulares oferecer palestras dinâmicas para conscientizar crianças e jovens da importância de doar sangue voluntariamente. Por meio de uma pequena encenação, os voluntários da AMEO demonstram todas as restrições para ser um doador de sangue. Os alunos ficam responsáveis por criar uma campanha de doação de sangue e discutir o assunto em casa com os pais, para que no final todos se encaminhem para o Hemocentro mais próximo para a doação.

Esse projeto é de grande importância para a AMEO, pois hoje no Brasil o número de doadores de sangue e orgãos é insuficiente para a necessidade dos pacientes. Os tecidos e orgãos só estão disponíveis por doação espontânea. A disponibilidade de sangue é resultado de um ato voluntário e consciente. Despertar a sociedade para necessidade de doar é um desafio cada vez mais evidente.

Não é de hoje que as escolas se preocupam em transmitir muito mais que conhecimentos. Faz parte das suas ocupações a formação de cidadãos com senso de responsabilidade social.

Um a cada cinco cidadãos necessita receber ao menos uma transfusão de sangue ao longo da vida. Mesmo assim quem precisou da doação para si ou para pessoa próxima, não se lembra de haver recebido e, raramente de retribuir o benefício.

Solidariedade, respeito, espírito de coletividade e preocupação com o bem comum se aprende muito mais em um ambiente onde estes valores são exercitados do que em ambientes onde se fala do tema, mas não se pratica.

Foi pensando nos pontos citados que a AMEO decidiu expandir sua atuação na formação de futuros doadores, jovens que cresçam compreendendo a importância de sua responsabilidade com a coletividade, também no que tange a saúde pública.

O Educar para Doar em 2015 foi a 5 instituições no estado de São Paulo para por em prática o projeto. Contou com a participação de mais de 350 alunos nos níveis fundamental e médio.

Por que colocar a doação num âmbito educacional?

Não é de hoje que as escolas se preocupam em transmitir muito mais que conhecimentos. Faz parte das suas ocupações a formação de cidadãos com senso de responsabilidade social.

Geralmente as escolas tratam de meio ambiente, de consumo ou respeito pela diversidade. A questão da doação, salvo exceções, não é abordada. Raramente se pensa na doação a não ser que se precise dela. É fato que há maior probabilidade que em algum momento da vida uma pessoa necessite de alguma doação do que se torne uma doadora.