Orientações para o coronavírus: como os pacientes com baixa imunidade devem se prevenir contra a doença 20 de março de 2020

AMEO realiza palestras como ação da campanha do Fevereiro Laranja
6 de março de 2020

Orientações para o coronavírus: como os pacientes com baixa imunidade devem se prevenir contra a doença 20 de março de 2020

Os pacientes que lutam contra uma doença no sangue e fazem tratamentos quimioterápicos costumam ter a imunidade baixa. Diante da atual situação da pandemia mundial do novo coronavírus para evitar infecções bacterianas ou virais (como o COVID-19) os cuidados devem ser redobrados pelo paciente e os familiares a sua volta. Pessoas com câncer estão no grupo de risco. Para esses pacientes a chance de a doença se agravar e poder ser fatal é de 5,6%, um número bem maior comparado com pessoas sem nenhuma doença crônica que é de 0,9%.

Pessoas infectadas com o novo coronavírus costumam exibir sintomas entre 4 e 5 dias após a contaminação, mas os sintomas podem variar entre 1 e 14 dias para aparecer. Devem permanecer em isolamento (de contato ou respiratório) todos os pacientes com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus, tanto no hospital quanto em casa, pelo tempo recomendado pelo médico, e com acompanhamento regular. O isolamento pode ser mantido por até 14 dias, podendo ser reduzido ou estendido conforme orientação médica.

Recomendações para quem convive com pessoas em situação de maior risco para o Coronavirus (como pacientes com câncer):

• Manter distância de no mínimo 2 metros e evitar beijos e abraços;
• Dormir em cama e quartos separados sempre que possível;
• Usar banheiros diferentes (se possível) e sempre limpá-los com água sanitária após cada uso;
• Não compartilhar objetos pessoais como talheres, copos e toalhas;
• Limpar e desinfetar todos os dias (com água sanitária, álcool 70%, ou desinfetante) superfícies de contato constante como celulares, computadores, interruptores, mesas, puxadores, maçanetas, tampos de mesas, corremão, etc;
• Lavar e trocar com maior frequência roupas, toalhas e lençóis. Não usar a mesma toalha de rosto e de mãos para várias pessoas;
• Manter os cômodos da casa sempre ventilados com janelas abertas.

O que posso fazer se estou em quimioterapia para me proteger do Coronavirus?

Higienizar as mãos com frequência, com água e sabão ou com solução de álcool gel, especialmente depois de tossir ou espirrar;
• Fazer uso frequente do álcool gel ao tocar superfícies (assento de ônibus, tela sensível ao toque, maçaneta, mouse de computador). A recomendação é sempre higienizar as mãos após tocar em superfícies potencialmente contaminadas. As gotículas não penetram na pele, mas se você tocar a boca, olhos e nariz com as mãos sujas ou contaminadas, poderá se contaminar;
• Não compartilhar utensílios pessoais como copos, talheres e toalhas de banho e rosto e de mãos;
• Ficar em casa, apenas saia se for por necessidade extrema;
• Evitar lugares fechados e com muitas pessoas;
• Evitar contato direto com pessoas que apresentem sinais de infecção respiratória (resfriado, gripe);
• Se sair, usar o cabelo preso e máscara.
• Manter distância de pelo menos 2 metros de uma pessoa para não representar
Risco;
• Se for necessário sair, leve álcool gel com você e tome cuidado para não colocar as mãos no rosto, ao sair considere suas mãos sempre sujas até voltar para casa e lavá-las adequadamente;
• Lembre de limpar seu celular e computador;
• Evite transporte público, mas se tiver que usar vá de máscara, fique longe de aglomeração e limpe as mãos ao sair.

Devo usar máscara?

Sim, pacientes com câncer ou imunossuprimidos devem usar a máscara do tipo bico de pato quando saírem de casa. Para outras pessoas sem fatores de risco o uso de máscara não está indicado para proteção individual, exceto nas seguintes situações:
•Pessoas com sintomas de infecção respiratória (tosse ou espirro);
•Suspeitos ou portadores de infecção confirmada de COVID-19

Água e sabão ou álcool gel?

Lavem as mãos com água e sabão durante 20 segundos sempre que possível! Quando não puder usar água e sabão, opte pelo álcool gel. A recomendação é dar preferência sempre à água e ao sabão, já que o álcool gel está acabando nas prateleiras, está com o preço elevado e que estão aparecendo versões não confiáveis, que podem ser prejudiciais à saúde e não são eficazes na proteção contra o vírus.

Como fazer a limpeza da casa?

A limpeza de móveis e objetos precisa ser feita várias vezes ao dia e seguindo os seguintes cuidados:
• quem limpar a casa precisa estar com máscara, luva, óculos e avental;
• todas as superfícies de contatos constantes devem ser limpas: pia, maçanetas, mesas, interruptores, assentos de sofá, cadeiras e vaso sanitário, torneiras, etc;
• sabão, álcool acima de 70%, água sanitária, vinagre e desinfetantes são eficientes para a limpeza;
• as roupas e acessórios de cama e banho do infectado sempre precisam ser lavadas após o uso e secas em local arejado;
• mantenha as lixeiras com tampas fechadas, use saco hermeticamente fechado e separe os resíduos em lixeiras diferentes.

Dicas para o isolamento domiciliar (quando alguém em casa estiver com gripe):

• Cozinha: se estiver gripado não deve cozinhar para os outros. Não compartilhe objetos de uso pessoal: talheres, pratos e copos. Separe os objetos da pessoa gripada e use só para ela.
• Banheiro: se possível um banheiro deve ser só para quem está gripado. Use bastante sabonete líquido para lavar as mãos. Não compartilhe objetos pessoais como escova de dente ou fio dental. Proteja a escova de dentes guardando em recipiente fechado. Desinfete com água sanitária, desinfetante ou vinagre todas as superfícies antes de serem tocadas, como vaso, pia, torneira, descarga. Feche a tampa da privada antes de dar descarga.
• Quarto: se houver alguém contaminado com coronavírus ou com gripe, essa pessoa deve ficar isolada no quarto, com a porta fechada, mas com as janelas abertas. A própria pessoa deve trocar as roupas de cama. Mantenha uma lixeira ao lado da cama e separar os resíduos em lixeiras diferentes. Desinfete superfícies que foram tocadas, como maçanetas, mesas, computadores, celulares, cabeceira da cama, etc. As roupas devem ser colocadas em saco plástico e lavadas em seguida com água e sabão.
•Sala: se houver apenas um quarto, isole a pessoa contaminada nele e acomode as outras na sala. Limpe superfícies que foram tocadas, como televisão, rack, sofá, etc.

Alternativas de cumprimentos

• acenar com as mãos (o famoso “tchauzinho”);
• modo oriental (reverência curvando as costas);
• com os cotovelos;
• com os pés.

Durante a pandemia a recomendação é evitar contato físico e aperto de mãos. Você pode diminuir a chance de contaminar-se ou transmitir o coronavírus!

De acordo com informação da Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infectados e que, consequentemente, possam transmitir a COVID-19.

O que são os Coronavírus?

Os coronavírus são uma grande família de vírus, já em circulação no Brasil antes dessa pandemia, causadores de resfriados comuns, além de outras doenças mais graves. O novo coronavírus foi denominado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como SARS-CoV2 e a doença, por ele causada, COVID-19.

Como a doença é transmitida?

O principal meio de transmissão é entre pessoas, ou seja, ao tossir ou espirrar, pessoas infectadas expelem gotículas que contêm o vírus. Essas gotículas podem contaminar superfícies e objetos. Outras pessoas podem se infectar ao tocar nesses locais contaminados, levando suas mãos aos olhos, nariz ou boca. As gotículas podem ainda permanecer durante um bom tempo nas superfícies dependendo do material do qual ela é feito. o Sars-Cov-2 sobrevive sobre papelão até 24 horas e de dois a três dias sobre superfícies de plástico e aço inoxidável.

Quais são os sintomas da COVID-19?

Os sintomas são principalmente respiratórios, como tosse, coriza, dor de garganta, além de febre, podendo, nos casos mais graves, apresentar falta de ar e pneumonia. Na maioria dos casos, os pacientes apresentam sintomas leves ou moderados, mas há casos graves e até fatais. Os mais vulneráveis são pessoas idosas (acima de 60 anos) ou com doenças crônicas pré-existentes (como doenças respiratórias, diabetes, hipertensão, etc).

Esse conteúdo foi produzido com a colaboração da Dra. Enfermeira Carla Gonçalves Dias, Coordenadora de Projetos AMEO-PRONON, baseado em informações e orientações coletadas das referências citadas abaixo:

Nos canais oficiais da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, do Ministério da Saúde (MS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).
www.saude.sp.gov.br/coordenadoria-de-controle-de-doencas/ ;

www.saude.gov.br/saude-de-a-z/novocoronavirus;

www.prefeitura.sp.gov.br/covisa;

www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/situation-reports/.

• Ou ainda nos sites oficiais:

www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/;

www.saude.sp.gov.br.